segunda-feira, 23 de abril de 2007



...já me farta tanto Abril
e aquilo que não faço.

Espreito por um funil
a promessa de Maio

porque esperar prometido
nessa eu já não caio...


(...)

...Meu Setembro perdido numa esquina que eu roço
e penso em Outubro o menos que posso...

(...)



Uma cantiga de desemprego, Fausto. Podem ler inteiro, ouvir ou descarregar, ou o que mais vos der na telha, aqui. E mais para se ilustrarem por aqui.

Eu estava ouvindo e de repente descobri-me em Abril, o que aí diz. E Maio às portas.



1 comentário:

XurxoCimaDeVila disse...

eu descobrinme en outono... sinto ponherlhe umha nota gris aqui,mas como diz Celso Emilio Ferreiro num poema, e tempo de chorar.