quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

quem me dera!

é certo, é. ainda som inocente, mal que me pese. mas também cada vez o som menos, mal que me pese. a minha maneira de ser inocente é aceitar tudo como natural, nom questionar nada e menos ainda julgar. simplesmente desfrutar do que quer que seja. noutras ocasions, como boa incoerente, também hai cousas coas que fago cábalas e telhados sem casa e casas sem telhado.
ser inocente nom é como viver num anúncio de colónia. e a incoerência faz parte da vida.

You are Bettie Page!
You're Bettie Page!


What Classic Pin-Up Are You?
brought to you by Quizilla

quinta-feira, 15 de dezembro de 2005

política interna

Eu já nom acredito no que eu mesma digo. Continuo co mesmo discurso desde hai anos por inércia e cada vez creio menos nele.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2005

Cada vez mais som da opiniom de que se algo começa a apodrecer o melhor é cortar por lo sano. Antes de que seja tarde de mais e se torne irrecuperável.
Porque se nom apodrece, sempre podes voltar, nem que seja mais adiante e nom seja como antes. Mas quando se corrompe...

domingo, 11 de dezembro de 2005

arradio

Às vezes ter um blog é parecido com ter um programa de rádio (de informaçom, de prazer onanista, de qualquer cousa, temático, variado...). Muitos, em vez de porem músicas, ponhem images ou links. (Eu nom, ainda que se os reis me deixassem algumha camarinha... e nom necessariamente digital, fíjate lo que te digo :P ) Já agora, por algumha razom que desconheço ou boicote do destino, nom sintonizo bem rádio3 aqui. Já puxem a rádio (aparelho) em pontas opostas do quarto e nada. No meio nom vai poder ser porque aí está a cama. Umha cama tam grande pra mim soa, que desperdício. Ou nom... quem sabe. Passo de seguir por este temita que de temita tem pouco.
Boh, parece que sempre me estou a queixar. Bom, é um pouco verdade, mas o outro pouco nom. Digamos assi um 25 % e um 70% respectivamente, dependendo do dia e da humidade atmosférica. O 5% que falta, melhor nem saber. O das queixas é mais inércia que verdade, de amargada lo justo para sobrevivir, a dios gracias.
Tou malinha da garganta, que raiva, já havia anos que nom. Tesouro ou princesa som apelativos interessantes, minha rainha. Apesar de um chis empalagosos.
Tenho o ritmo do sono cambiado. Tanto que creio que simplesmente já nom tenho ritmo, a ver que fago para convocar o pedro chosco agora...
Depois de ter dado o parte (ou melhor, parte do parte) penso q me vou meter na cama e ler um chisco para os exames que venhem, que já estám aí.´
Cuidivirtam-se-me, está?

as frutas vermelhas do inverno






Meu pai trouxo o outro dia uns poucos morodos (que os dam os êrvedos), saber, nom é que me saibam muito, mas ser, som bonitinhos.

As fotos encontreinas no google-images e n sei se terám copirrait mas eram tam lindas que as tivem que roubar, umha obriga moral como outra qualquer (como a de citar a fonte).
Agora, o collage louco esse foi um falho meu q lhe dei vinte mil vezes ao de meter as imagens na entrada sem me dar conta e nom sei como fixem que passou isto (juro que eu só colei a URL umha vez!) mas queda tam chulo q o vou deixar, hehe... por umha vez os mistérios da tecnologia dam surpresas agradáveis.


Ainda que no inverno também hai frutas de outras cores, todas quentes. Caquis, laranjas e algumha caste de maçãs. Mmmmmmm.
As feijoas som verdes, mas como arrecendem!

dimanche

Outro domingo com sol. Com este maravilhoso sol de inverno. E o sono que tenho... Ressaca hoje nom (tampouco) toca, como me vou lavrar assi umha reputaçom de poeta (es un decir) alcólica (borracha) ou de adolescente autodestrutiva? O que si tocou foi cozido, no en vano es domingo.
Cada vez gosto menos de El País... assi em geral. Sobretudo noto-o mais quando nos regala com extras de beleza, decoraçom ou Natal...
Outra cousa, a blogosfera lusa é bué da fixe, pá. A sério. A galega também nom está mal. Umha das cousas melhores que eu vejo é o convívio harmónico entre reintegratas (algo mais escasos) e isolatas, assi da gosto!
(sisisi, faltam-me os links e a paciência para pô-los... chegarám um dia destes que me encontre inspirada, prometo! Afinal já se sabe "diz-me com quem linkas, dir-te-ei quem és" -e também já se sabe a minha querência-quase-obsessiva polo pseudo-anonimato ou um cripticismo qualquer ...)
E já vou publicar que levo coa janela do blogger aberta várias horas... já fede!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2005

Esquizofrénica dizes...

(* * * )na havana!!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2005

Nota de prensa

Bom, realmente o do messenger é umha frivolidade mais, algum dia falarei das vantagens da frivolidade, o que realmente me fode (o de foder, é claro, é umha maneira de falar, totalmente desafortunada no caso que nos ocupa, dito seja de passada, açksjdgnapsij) som outras cousas e implicâncias.
Diosss.
Nom imaginas como odeio que nom me saudes no messenger!!! (léase que nom me fagas nem puto caso)

Ocorrem-se-me textos que venhem a conto, mas hoje nom toca literatura e som de natural pouco paciente e de conexom lenta para procurar links a eles. Além do mais, muitas vezes prefiro mostrar antes do que hipertextualizar, ainda que seja fan nº 1 da intertextualidade, que no es igual pero es lo mismo (parapervertindo a Silvio).
Fan? Dixem fan? Eu, a céptica (embora, a mí pesar, ingénua)? Melhor dito, adicta incontrolável.
Pena de telepatia, caralho! Que intertextualizar si que te intertextualizava eu!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2005

(...)

Μονοτονία

Την μια μονότονην ημέραν άλλη
μονότονη, απαράλλακτη ακολουθεί. Θα γίνουν
τα ίδια πράγματα. θα ξαναγίνουν πάλι --
η όμοιες στιγμές μας βρίσκουνε και μας αφίνουν.

Μήνας περνά και φέρνει άλλον μήνα.
Αυτά που έρχονται κανείς εύκολα τα εικάζει·
είναι τα χθεσινά τα βαρετά εκείνα.
Και καταντά το αύριο πια σαν αύριο να μη μοιάζει.

(1908)



MONOTONIA

A un día monótono otro

monótono, invariable sigue: Pasarán

las mismas cosas, volverán a pasar -

los mismos instantes nos hallan y nos dejan.

Un mes pasa y trae otro mes.

Lo que viene uno fácilmente lo adivina:

son aquellas mismas cosas fastidiosas de ayer.

Y llega el mañana ya a no parecer mañana.


Kavafis



(Tirado de aqui)