sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Liberaçom





Às veces parece que somos nós as que nos temos que liberar a todos.









[Imagem]

3 comentários:

Sun Iou Miou disse...

Non o pillei ben. Parece? Paradoxal que "liberarse a" signifique "entregarse a". Hihihi.

Kaplan disse...

a min paréceme o consabido misterio encerrado nun enigma á súa ver gardado nunha incógnita (vai ti saber, en resumo)

La queue bleue disse...

Ai, que vou ter que reformular...
Vaia por diante umha espécie de explicaçom... nom é liberar-se a/para ninguém nem dar-se a ninguém. Era liberar-se a um próprio, liberar-se, neste caso, das convençons sociais e tal e qual e proclamas, reivindicaçons feministas, é dizer, liberar-nos a nós mesmas e a eles, a todos (porque às vezes parece como se desmontar os roles de sexos e toda a merda que se monta arredor fora só cousa nossa, quando é algo comum, que afecta negativamente a todos e do que se trata é de fazer 1 mundo novo para todos onde nom esteamos condicionados tanto polo que nos fazem ser e boh, já me fixestes dar um discurso...
...:(