domingo, 24 de janeiro de 2010


Às vezes está um tranquilamente (demasiado, se quadra) na sua vida com as suas cousas quotidianas e vam um filme ou um gesto ou um partido de baloncesto ou um filme e um gesto e um partido de baloncesto e metem-nos umha gana estonteante de escrever umha carta directa ao passado.

(Daquela, pensamo-lo umha vez e meia e acabamos vindo ao blog postar qualquer cousa que nos alívie a urgência.)
(Isso e limpar a casa de arriba a abaixo.)








6 comentários:

Sun Iou Miou disse...

Depois de ler isto tudo teu em atraso, acho que te quero mais cada dia que passa. Não comento coisa maiúscula, nem aqui nem nos outros textos porque com te ler me basta, minha besta, e ando a tentar recuperar o tempo que já não tenho. Mas que te quero, repito, quero-te, por se me não ouviste ou a neve amortece os sons tão escorregadios eles.

E tu escreve assim. Sempre.

La queue bleue disse...

Sacas-me 1 sorriso grande como um mundo :)
Deixache-me durante um anaco embobada a mirar para o ecrã alheia às cousas do redor. :)
Para mim é umha maravilha que gostasses tanto das Quintas e que che dessem tantas alegrias e que fosses lá e tudo :) E nada, nada, gracias, las que tú tienes, morena.
Tu é que nom tens que deixar de escrever com esse teu jeito, jeitinho, jeitão.

condado disse...

No os pienso contar el ambiente que me retuvo estos días apartado del arte de leeros pero alli se diría: ¡Cuanta mamonada! :P)

La queue bleue disse...

:D :D

(Ay, ay, qué mala es la envidia :P :P)

condado disse...

Que va, la envidia es buena, lo malo es callársela. Estaba un poco preocupado de si no se entendía cariñosamente... (*_*)

La queue bleue disse...

:)