segunda-feira, 4 de junho de 2007


Hoje, ia caminhando pola ponte de volta à casa, e havia umha brisa leve que nos punha a pele de galinha a mim e mais ao rio. Depois, um algo mais de intensidade, já nos despenteava ante a presência violácea da luz de solpor.
Antes ia por outra ponte, mas desde hai uns dias topei um sítio melhor onde deixar o coche e, como a vida dedica-se ela a oferecer-nos metáforas, agora vou por estoutro caminho.


[Foto encontrada aquí.]

2 comentários:

XurxoCimaDeVila disse...

sempre hai que escoller caminhos, e a míudo todolos caminhos nos sorprenden... desde logo. encantame a metafora!!
bicosss ;)

La queue bleue disse...

Hehe, nom é mais que um tópico. :)
Mas, grazie.