domingo, 10 de abril de 2005

TEO en Botánico

Che, afinal encontrei o sutiã negro! E já pudem pôr os brincos, menos mal. Cheguei a casa às 8 da manhã (acompanhada, e nom pensedes mal!! nem queirades saber, ighch...) depois de umha acidentada noite... e isso que nom estava eu mui convencida de sair. Mimadrinha... Isso si, desta vez nom me puxem a cozinhar.

Este blog está um nojo... parece um diario de adolescente... sem ânimo de ofender adolescentes que escrevem diarios, mas é que eu nom gosto do intrusismo profissional porque, apesar do que indicam todos os indícios, eu já, segundo os entendidos, já nom estou na idade que corresponde à adolescência (que palavra feia, por sinal). Devo acrescentar que tampouco che vos estou na de mulher (sofisticada) porque onte muito negro, si, si, pero as peúgas eram aos quadradinhos coloridos e os ténis vermelhos. (Nota: ainda que o pareça, nom era hortera nem piroso nem fuleiro, :P, que já estou a imaginar imaginações das vossas.)

Gosto de poder escrever aqui que lhe perguntei a TEO (ai, que pouca paciência para buscar ligaçons...) como se chamava e tal e qual. Gosto de nom escrever que gostaria de ter-lhe perguntado a TEO como se chamava e tal e qual. Bom, o qual nom deu tempo, mas polo menos neste trem cheguei até a primeira paragem. :P
Com aqueles caracóis...