quinta-feira, 9 de março de 2006

piùma al vento

Nom sei como se di azucarillo em português, envelopinho de açúcar nao me parece. Açucarinho tampouco, mas inda dava para apelativo agarimoso, ou? "És tão doce... és o meu açu-carinho!!"

Ai, nom! Que o carinho é inversamente proporcional às calorias!

É igual, documentar-me-ei. Afinal veleta era cataventos. Que bonito. E parece-me que também existe a expressão de ser mobile qual catavento. Mas azucarillo, azucarillo, azucarillo era do que estavamos a falar, que inda que todos os incisos levem a Roma, quem tem boca, à parte de outras cousas, tamén toma cafés (com leite e deixa-os arrefriar) na EOI e eis que encontramos num azucarillo da Bicafé uma anedota acerca do Capuchinho Vermelho e é normal que a meta aqui porque de Capuchino para Capuchinho corre que chove!

Grita o Lobo Mau para o Capuchinho Vermelho:
-Vou comer-te uma coisa que nunca ninguém te comeu!
Responde o Capuchinho:
-Oh! Só se for o cestinho!...

2 comentários:

Marián disse...

Pacote de açúcar??? Não é tão romântico nem tão doce mas...

La queue bleue disse...

:O
que surpresa ver-te por aqui! nom sabia que fazias parte da respeitável platéia... caramba, deixas-me a quadros...
E si, pacote de açúcar... e nem sequer pacotinho, só pacote... desta vez os portugas nom se luzirom nada, eh? :P